A atividade dos maus

O que é ordinário não surpreende. Aquilo que vemos todos os dias, que experimentamos constantemente, passa desapercebido, como algo que não atrai mais nosso interesse. Observe por quantas pessoas você passa diariamente e sequer as nota – pessoas que não lhe incomodam e que estão vivendo suas vidas sem fazer mal a ninguém.

Agora, basta alguém na multidão cometer um ato de desatino e isso chamará sua atenção, porque o que a desperta é o que sai do comum, aquilo que assombra, o que espanta.

Esse é o motivo da impressão que temos de que o mal dominou o mundo. A atividade dos maus incomoda-nos porque alerta-nos para uma alteração em relação à normalidade, para um abalo na ordinariedade.

No entanto, a maldade, apesar de aparentemente se intensificar, continua a ser exceção. E é exatamente por isto que ela sempre parecerá mais presente do que realmente é.


Deixe uma resposta