A preguiça e a safadeza da ignorância

As pessoas não fazem nenhum esforço para entender as insanidades deste mundo. Pelo contrário, agem como se tudo estivesse na mais perfeita normalidade. Quando, porém, a realidade bate em suas caras, esbofeteando-as, ao invés de acordarem e tomarem a decisão de começar a se esforçar para entender as coisas, ficam apenas reclamando que o mundo está muito louco, que as coisas estão erradas etc. Minha conclusão é que na ignorância existe uma grande dose de safadeza e uma amontoado de preguiça.

4 respostas a “A preguiça e a safadeza da ignorância”

  1. entao explique melhor.
    quando foi que pudemos dizer, na historia humana, que as coisas estavam normais?
    na visao de qualquer um, as mudancas – essas sim, normais – parecem reestabelecer as coisas mais rapido do que podemos nos adaptar.
    assim caminha o mundo.
    hoje nos parece ainda mais rapido esse caminhar, provavelmente pelo acesso a informacao, a tecnologia da comunicacao.
    os processos que antes duravam decadas, se desenvolvem em anos.
    mas um velho de oitenta anos que tenha vivido na idade media tambem sentiu a diferenca dos tempos.
    assim como nos sentimos.
    afinal, cada geracao traz algo novo.

  2. Onde foi que eu restringi isso a algum tempo determinado? Mais calma, meu caro. Você está muito ansioso por discordar e acaba lendo algo a mais do que eu escrevo.

  3. Em algum momento eu restringi isso a algum tempo? Leia com mais calma, meu caro. Você é muito ansioso para mostrar discordância.

  4. quando houve normalidade nesse mundo?
    o que seria o normal?
    o mundo estah louco?
    quando foi que nao esteve?
    as pessoas precisam entender alem de suas proprias perspectivas.
    senao fica nisso.
    saudade dos tempos que nao viveu.
    o pensamento de que durante a infancia o mundo parecia normal, apenas pq nao tinha conhecimento para entender o que ocorria.
    o mundo nunca parou de girar, e nem vai parar.
    vivemos um constante processo de mudancas.
    isso nao se pode negar.
    contra isso nao se pode lutar.

Deixe uma resposta