Antes rejeitar do que conquistar

Antes de planejar o que você vai fazer, o que vai ser e o que pretende obter, por que não planeja o que você precisa rejeitar?

Todos os povos têm seus vícios. Os nossos, porém, ao menos para mim, são insuportáveis. Acho que todo brasileiro, antes de traçar qualquer plano de conquistas, deveria fazer um esforço e um planejamento de superação desses males.

Boa parte de nós chega à meia-idade não como convém a uma pessoa em desenvolvimento: mais sábia, mais consciente e mais equilibrada. Vejo demasiados exemplos de senhores e senhoras que ao invés de fortalecerem as virtudes, multiplicaram os defeitos.

Há uma herança cultural maléfica que assumimos como parte de nossa vida. A malemolência e malandragem brasileiras, sua preguiça esperta, a superficialidade, a busca de sucesso por meio de atalhos, uma obsessão por reconhecimento, a ingratidão contumaz e a inveja do sucesso alheio.

Não quero traçar uma quadro demasiado negativo de nós mesmos, mas pretendo alertar para um problema crônico que existe em nossa sociedade e que, individualmente, precisamos lutar muito para nos desvencilhar dele.

Sabe o que é chegar aos 50 anos e perceber que você perdeu várias coisas na vida apenas porque se deixou contaminar pelos vícios do meio que vive? É assim que muitos brasileiros se sentem – pelo menos quando percebem que algo está errado, porque muitos sequer chegam perto dessa percepção.

Falando bem sério – vamos parar de brincar?

Antes de planejar o que você vai fazer, o que vai ser e o que pretende obter, por que não planeja o que você precisa rejeitar? Se tiver sucesso nesta empreitada, as conquistas virão naturalmente.

Deixe uma resposta