O que é mais persuasivo

Nada convence mais do que a verdade. Esta parece uma frase óbvia, e até batida, mas é preciso ser repetida, principalmente em tempos quando se pensa que persuadir é o objetivo final de tudo. Vivemos tempos mercadológicos. Tudo, hoje, virou produto. E, independentemente das questões valorativas em relação a isso, o fato é que, em…

Compromisso com a realidade

Ninguém precisa ser isento, basta ser exato; não é preciso ser neutro, basta ser fiel. Toda pretensão de isentismo e neutralidade é ilusão ou má intenção mesmo. Ainda que não concorde com a radicalização que os analistas do discurso fazem, de praticamente ignorarem os argumentos para dar atenção apenas às circunstâncias que o envolvem, eu…

Linguagem e realidade

A linguagem é poderosa, mas o poder que ela oferece aos homens está menos na capacidade de expandirem suas perspectivas em relação ao mundo do que na possibilidade de inventariá-lo. A maior força da linguagem reside no fato de ser um instrumento de descrição, tornando possível a discriminação das coisas. Com isso, permite a cada…

O limite da beleza na escrita

Na escrita – que me desculpem aqueles que não sabem escrever – mas beleza é fundamental. Não apenas porque um texto bonito é bonito – e a beleza não precisa de justificativas – mas porque um texto esteticamente bem apresentado adquire um poder de convencimento maior. No entanto, há uma linha muito tênue que separa…

Naturalidade conquistada

Quem quer ser ouvido precisa expressar-se com naturalidade. É ela que toca os corações, que mexe com a alma. Espíritos humanos são despertados por manifestações de espíritos humanos. Portanto, só a expressão natural alcança o outro. As pessoas parecem que possuem um filtro contra a artificialidade. Elas percebem quando alguém está apenas sendo uma mera…

Escrever, um ato de coragem

As idéias, quando na cabeça, são fluidas. Por causa do dinamismo de nossos processos mentais, costumam ser movediças, incertas, cheias de oscilações. O que mantemos no pensamento é, por isso, móvel, sempre passível de atenuações e acréscimos. Apesar da instabilidade consequente do processo dinâmico de nossa mente, é exatamente isso que nos permite pensar muitas…

A função da beleza na escrita

A escrita elegante parece estar fora de moda. Muitos escritores acreditam que escrever bonito não tem função alguma. Simplesmente, acham que sua comunicação deve ser feita sempre da maneira mais fácil e direta possível. Há motivos para o medo de escrever bonito: o receio de soar pedante, o perigo de parecer datado e, por fim,…

A surdez causada por uma teoria acadêmica

A sensação de que seus argumentos não valem de nada no esforço de convencer seu antagonista, como se ele não fosse capaz de compreender a lógica do que está sendo dito e apenas lhe acusa de tais e quais intenções, não está equivocada. É assim mesmo que acontece, mas não por acaso. Isso é fruto…

Retóricas, de Chaïm Perelman

Livro bons são aqueles que correspondem às nossas expectativas; livros ótimos são aqueles que frustram-na, entregando algo muito melhor. Quando eu li o livro ‘Retórica’, de Aristóteles, tive contato com os fundamentos dessa ciência. Para o estagirita, retórica é o discurso da persuasão. É o meio que o orador usa para, a partir das crenças…

O paradoxo do argumento pragmático

O valor de algo não pode ser medido simplesmente pelos benefícios que ele parece oferecer. Este é o método que Perelman chamou de argumento pragmático. Porém, esta metodologia anula-se a si mesma. É que esses tais benefícios precisam ser valorados também, e qual é o método usado para isso? O que fundamenta dizer que tal…