Uma teoria do conhecimento, de José Nedel

Brasileiros que somos, acostumados a vermo-nos como um país culturalmente inferior, onde a intelectualidade não frutifica, acabamos por ter nossos olhos fechados para preciosidades que possam existir em meio ao caos. Costumamos reclamar de nossa pobreza intelectual, mas, talvez, se olhássemos com mais atenção e procurássemos com mais afinco, encontraríamos homens que se dedicam à…

O valor da intuição

Nem toda verdade é facilmente justificável. Há inclusive aquelas que ninguém explica. Existem verdades complexas e outras que se escondem por detrás de muitos véus, que exigem esforço e engenho para serem alcançadas. Ainda assim, há quem alimente uma ilusão racionalista, acreditando que devem apenas aceitar verdades que pensam poderem ser devidamente explicadas. Abandonam a…

A vocação da ciência moderna

Apesar de estar no imaginário popular que as respostas para as questões mais importantes de nossa existência virão por meio da ciência moderna, contar com ela para isso é sempre frustrante. Isso porque a ciência não é capaz de explicar nada. Assim, tê-la como última instância do conhecimento de qualquer assunto é um erro. A…

O medo da incerteza e a leviandade nos juízos

Há o medo de ser relativista. Justo temor! O relativismo é uma contradição, pois sua afirmação nega-se a si mesma. Dizer que tudo é relativo deve incluir a própria asserção, o que a tonaria absoluta, abalando assim seu preceito. E para escapar desse equívoco muitos abrigam-se no pólo oposto e exigem certeza de quase tudo….

Obsessão pelo meio-termo

Há uma ânsia, principalmente nos meios mais intelectualizados, de, diante de um assunto qualquer, tentar colocar-se sempre numa posição mais ponderada. Abundam os opinadores que buscam parecer moderados, equilibrados, portadores do mais absoluto bom senso. Ninguém quer parecer radical, ser visto como um extremista. É verdade que o pensamento grego dizia que a virtude se…

A supervalorização da ciência

Por muito tempo tem-se buscado dar status científico a diversas áreas do conhecimento, como a filosofia, o direito, a comunicação e até a teologia. Faz-se isso querendo valorizar estas matérias, como se chamar um campo de estudos de ciência fosse o selo de qualidade definitivo, que oferecesse a eles o mérito necessário para obter respeito….

Crítica cômoda

Destruir é fácil; criticar é confortável. Colocar-se na posição de quem vive a acusar os erros alheios é como apontar um canhão de dentro de uma casamata. Há pouco risco e faz-se muito estrago. O pensamento crítico, tão exaltado, muitas vezes, é apenas o apontamento do óbvio. É que o erro, em boa parte dos…

Livros inúteis

Nem toda leitura é proveitosa. Há livros inúteis, livros ruins, livros que são perda de tempo e até livros prejudiciais. Não é porque alguém decidiu escrever umas palavras, mandou imprimi-las, fez uma capa bonita para envolvê-las e colocou-as em circulação que, por causa disso, esse material está automaticamente habilitado para ser consumido. Nem tudo o…

A alegria por saber

Quando eu vejo a ânsia com que os jovens, nas discussões que acompanho nas redes sociais, disputam por quem é o mais inteligente, o maior conhecedor das coisas, sempre tão sisudos e levando-se tão a sério, eu penso o quanto eles estão perdendo, daquilo que estimam, o principal. É que essa insolência intelectual arranca deles…

O incômodo da inteligência

Pessoas inteligentes costumam ser chatas. Pelo menos, é assim que as outras – menos inteligentes – pensam. É que o inteligente geralmente é um inconformado. Ele não aceita a aparência. Por isso, questiona tudo e isso incomoda quem está acostumado a aceitar os fenômenos como eles se apresentam de primeira. O inteligente parece estar sempre…