O cerne da religião

Quando a religião deixa de ser a abertura para a verdade, ela já não mais faz diferença. É apenas mais um meio, entre tantos, para a satisfação da alma, para seu consolo, para a tentativa de encontrar paz. Quando ela se transforma nisso, não existe mais diferença entre uma reunião religiosa e um workshop motivacional…

O realista extremo

O extremo realista costuma ser desagradável. Quem já teve um amigo sincero, daqueles que vê nossos vacilos e faz questão de apontá–los, deixando claro que faz isso por se orgulhar de dizer a verdade, sabe do que eu estou falando. Quando penso sobre isso, lembro de Erasmo de Roterdã, que dizia que não gostava dos…

Considerar-se morto

Na contramão dos conselhos motivacionais, que dizem que é preciso dar valor à própria vida e agarrá-la com todas as forças, como se fosse o bem mais precioso que alguém pode possuir, eu afirmo que, se quisermos viver em paz e com abundância, devemos fazer exatamente o contrário. Tudo aquilo a que nos apegamos, tememos…

A raiz do vitimismo

A sensação de desamparo diante da vida é um sentimento comum. Logo, todos percebemos que a maior parte daquilo que nos envolve não está sob o nosso controle. Também constatamos que nem tudo acontece de acordo com nossos investimentos, nem recebemos conforme nossos méritos. Isso faz com que muitas situações do cotidiano pareçam ocorrer de…

Motivações incompreensíveis

Uma das constatações mais fascinantes que a teoria das doze camadas da personalidade, do professor Olavo de Carvalho, faz é a de que as motivações que podem conduzir alguém que se encontra em uma camada superior é completamente incompreensível para quem se encontra em uma camada inferior. Isso é fascinante porque explica muita coisa do…

Como se (não) fossem morrer

Dizem que o certo é viver como se fôssemos morrer amanhã. Sêneca, e depois Montaigne, diziam que viver é exatamente isso: aprender a morrer. O mártir tornou-se o ideal de conduta. Aquele que despreza a morte o exemplo a ser seguido. Só que quando eu observo o que a quase totalidade dos homens construiu, percebo…

O que nos amedronta

Não fosse o túmulo vazio, estaria eu contando meus dias, aguardando apenas o enlace definitivo de uma vida sem sentido. Mas o corpo daquele que esperavam estar lá deixou, vivo, a frieza do sepulcro, anunciando ao universo que a temida morte estava, enfim, derrotada. A partir daí, o que nos amedronta? Absolutamente nada! O terror…

Dúvida metódica

Pense comigo: se, sobre um mesmo assunto, há diversas opiniões divergentes e, no máximo, só deve-se considerar uma delas como verdadeira, a atitude mais prudente, obviamente, deve ser considerá-las, em princípio, todas equivocadas. É simples probabilidade: a chance de eu estar errado abraçando, sem análise, qualquer uma delas é tão maior quanto o número delas…

Uma culpa insistente

A culpa é um algoz e muitos cristãos, mesmo tendo a arma mais eficaz contra ela, insistem em cultivá-la. No medievo, pairava sobre o bom cristão a culpa por não agir de acordo com um modelo ideal. O religioso da Idade Média era atormentado por não ser capaz de agradar a Deus; de agir segundo…

Um pouco do que importa

Ser simplório até parece uma virtude. Temos simpatia por quem parece viver apenas na trivialidade. Nutrimos certo apreço por aqueles que sabem pouco e tratamo-los como puros; vemo-los como ingênuos. Por outro lado, o homem de erudição é tratado com desconfiança. Quem demonstra possuir algum conhecimento acima do necessário para a sobrevivência não demora a…