Consciência da fragilidade

A maior contribuição cristã para o progresso do indivíduo e da sociedade é a consciência do estado decaído em que se encontram. Ainda que boa parte das pessoas não entenda, teologicamente, o significado disso, está impregnado na cultura a ideia de que, diante do universo e, por que não, de Deus, o ser humano é minúsculo. Tal consciência, de qualquer maneira, impulsiona o homem para a superação, para a criação de meios para a suplantação de suas limitações. Se os homens se considerassem deuses, certamente viveriam estagnados em sua própria contemplação. Mas, como se veem pequenos e frágeis, sabem que precisam encontrar meios para vencer tamanha vulnerabilidade. Diante disso, alguém vai contestar, afirmando que, pelo contrário, as pessoas são orgulhosas e se acreditam poderosas. Mas isso é apenas verdade em um âmbito muito pessoal e estas, normalmente, são muito pouco produtivas. Aquelas que realmente criam algo são as que sabem que precisam fazer muito para conquistar um pouco.

Deixe uma resposta