Em busca de uma espécie em extinção

Ter uma vida cristã, hoje em dia, não é nada fácil. Vivemos os tempos das crises morais, mas, principalmente, das crises de autoridade. Se, antes, obedecer cegamente um líder podia ser sinal de piedade, atualmente significa apenas burrice. Os olhos precisam estar abertos e os ouvidos atentos, pois a apostasia espreita.

Estamos chegando perto daquele no momento que assumir as rédeas das nossas vidas será exigido e dar conta de nós mesmos inescapável. Não adianta mais esperar que os pastores venham cuidar de nós, as ovelhas. Sinceramente, se dependêssemos deles, estaríamos mais que desgarradas, mas atoladas em algum lamaçal por aí.

Não que faltem líderes ou homens de coragem. O que falta é inteligência e sabedoria. Há muita gente tentando exercer domínio sobre os outros, pela força e pela coação. O difícil é encontrar quem cative pela perspicácia, pelo conhecimento, pelo bom senso e pela santidade.

E tudo começa pela ignorância em relação à própria realidade. Quando não estão entrincheirados em seus castelos de futilidades arrogantes, se aliam à escória ideológica destes tempos. São imbecis ou canalhas.

Então eu pergunto: como me dispor a ouvi-los, a segui-los, a admirá-los? E, não se enganem, eu gostaria muito de poder fazer tudo isso! É terrível viver apenas por conta de si mesmo, e difícil. Cristo fundou uma Igreja, pois conhece a fragilidade humana. A comunhão é a solução para a fraqueza individual. Por isso, viver uma vida cristã isolada não é uma opção, no máximo, um peso a ser carregado.

No entanto, muitas vezes, o zelo pela obediência, a disposição de servir e a necessidade de fazer parte do grupo colaboram mais para a queda que para a edificação. É que, como as coisas estão, ficar em casa tem sido, não sem frequência, mais proveitoso do que ouvir tantos impropérios. É um amálgama de irrelevâncias e estupidez. E o ouvido fiel quase sangra por causa das agressões que precisa suportar.

Se ainda insisto em tentar encontrar um bom lugar para estar, onde Cristo é o centro e a razão hóspede bem tratada, é porque tenho consciência dos perigos do isolamento. Sei o quanto é difícil manter-se em pé, sozinho, por si mesmo, só eu e Deus. Se não fosse assim, certamente já teria mandado tudo às favas.

Se, por graça divina, você tem diante de si um verdadeiro líder espiritual, que seja inteligente, culto, com bom senso e com noção da realidade, fiel a Cristo e pronto a ensinar, agradeça imensamente a Deus por isso. Até porque é bem provável que você esteja diante de um dos últimos exemplares da espécie dos grandes homens de Deus.

4 respostas a “Em busca de uma espécie em extinção”

  1. Fábio Blanco, faço minha as suas palavras. Tenho 39 anos e desde meus 15 anos que percebo essa dificuldade em encontrar em algum padre/pastor a imagem do lider espiritual que você descreveu (iinteligente, culto, com bom senso, noção da realidade, fiel a Cristo e pronto a ensinar), claro que encontrei alguns com algumas dessas qualidades, mas a qualidade que faltava sempre era aquela que fazia toda a diferença.
    Acabei encontrando esse líder espiritual em um “professor independente”(um professor de português, cristão, sem formação teológica mas que sempre buscou conhecimento sobre tudo), que durante muitos anos me ensinou como pesquisar e como interpretar os ensinamentos bíblicos e os não-bíblicos, dentre os não-bíblicos ele me ensinou a enxergar os maus pastores (missão integrau, CNBB e outros apóstatas). Já a alguns anos que sou um lobo solitário em busca da Palavra.
    Te parabenizo pelas suas publicações, tanto as cristãs quanto as políticas, pois essa é a ardua função do cristão, um contínuo aprendizado que se completa através da difusão do que se aprendeu. Tudo provém de Deus, todo conhecimento provém de Deus. Cristo nos incubiu de enxergar e conhecer o que está além do véu da ignorância para crescermos como cristãos e como cidadãos-cristãos. Infelizmente, a grande maioria de nossos irmãos se sentem muito confortáveis sendo ignorantes tanto sobre os reais conhecimentos bíblicos quanto os reais fatos/conhecimentos do nosso mundo e eles escolhem serem cegos sobre o mundo em que vivem e sobre o quão grande Deus realmente é. No ápice da ignorância sobre os Mandamentos Divinos eles acabam enxergando em cristãos como você a imagem do que eles mais temem e deixam de enxergar em seus falsos líderes espirituais o que realmente são, desinformadores bíblicos e consequentemente desviadores de almas.
    Fábio, continue tendo essa força que você sempre demonstra em seus textos, Deus está contigo, você chegou até aqui porque Jesus Cristo está iluminando os seus caminhos.
    Nós cristãos vivemos tempos sombrios porém muitos não enxergam o que acontece à sua frente e dentro de suas casas, por isso que o seu trabalho é muito importante, seu trabalho é informar para resgatar almas.
    Seus artigos existem para ajudar os cristãos a enxergar as trevas que nos rodeiam. Se hoje muitos cristãos não entendem o que você escreve, num futuro muito próximo, muitos cristãos usarão seus textos para ajudar os poucos que ainda estão cegos.
    Me sinto abençoado por Deus por ter encontrado o seu site e poder complementar os meus conhecimentos com os seus artigos, além de poder usá-los para ajudar outros irmãos a compreender o nosso mundo tanto físico quanto espiritual.

  2. Não discordo de você, mas não estou falando de “pequenos equívocos”.

  3. Eu prefiro ser o crente “imbecil”, com o ouvido doendo diante de pequenos equívocos do que ser o inteligentinho que julga tudo, e que nada tá bom pra ele. Prefiro a vida real, os cristãos de carne e osso, com sua trajetória e limitações e defeitos. O Amor têm que falar mais alto. Amor a Deus e ais irmãos. Cuidado Fábio, o kapeta tá só esperando um descuido pra te dar uma rasteira, traduzindo… para minar sua fé… foi assim que ele fez comigo, já fui ateu, camarada. Pelo Amor de Deus irmão, não deixe de Congregar.

  4. O que dizer!?Eu só posso dizer:ESPETACULAR!Um tapa na cara,com luvas brancas,e no fim dizer” touché “.

Deixe uma resposta