Exército dos mortos

Não basta ter coragem, firmeza e inteligência quando nos deparamos com uma imensidão de mentiras, uma infinidade de falsificações e ilusões de todo tipo. Não é sozinho que se confronta esses adversários de nossa sanidade.

Para encarar inimigos assim, dispostos a corromper nossa alma e destruir nossa mente, é preciso companhia. Quando tudo convida à loucura, é preciso ter a certeza que não vamos enfrentar isso sozinhos.

Quem se garante em suas próprias virtudes, quem acredita que suas próprias qualidades serão suficientes para manter-se de pé, certamente, mais cedo ou mais tarde, sucumbe. Não é à toa que vemos tantas promessas de heroísmo transformarem-se em piada.

Essa luta exige reforço. É preciso que, nessas batalhas, haja irmãos de armas que nos protejam e nos socorram todo o tempo.

Mas onde estão esses soldados quando os procuramos entre nossos contemporâneos?

Na verdade, a quase totalidade deles não está entre nós. Esses soldados estão entre aqueles que já se foram. São os gênios e sábios, de todos os tempos, que, transmitindo sua mensagem para os homens de todas as eras, nos dão o apoio necessário quando tudo em volta parece militar contra nós.

É na companhia do exército dos mortos que podemos enfrentar os presentes adversários do espírito. Apenas ao lado dele, poderemos ter a certeza de estarmos bem protegidos, sabendo que estamos sendo suportados por algo inabalável e com capacidade se enfrentar os batalhões de insanidades que se lançam contra nós.

É assim que se enfrenta essa luta. Contra isso, não há inimigo que resista.

2 respostas a “Exército dos mortos”

Deixe uma resposta