Copa depressão

“A razão principal para o desinteresse que o povo tem demonstrado em relação à Copa do Mundo é o sentimento de abandono pelo fato do governo estar sendo tão submisso às exigências da organizadora do torneio, ao mesmo tempo que mantém seu desprezo tradicional pelas necessidades mais triviais da sociedade”

Que o brasileiro adora futebol, isso ninguém pode negar. Há vários motivos que podem ser apontados para que isso aconteça, mas me arrisco a dizer que a possibilidade de estar entre os melhores do mundo em algo e a força alienante que o futebol tem estão entre as principais razões para o sucesso desse esporte. Então, por que, logo agora que a maior competição do futebol acontecerá bem entre nós, o povo parece estar tão distante e tão desanimado com ela?

A Copa do Mundo sempre movimentou o brasileiro. Eram ruas pintadas, bandeirolas penduradas, lojas cheias de artigos verde-amarelos e o tema futebol invadindo todas as áreas da vida. O que estamos observando neste ano, porém, é algo bem diferente: poucas bandeiras penduradas, quase nenhuma movimentação de torcida e um evidente desânimo com a própria seleção brasileira.

Observe bem como inclusive o número de propagandas na televisão que estão usando o tema Copa do Mundo para promoverem seus produtos é mínimo, comparado com as edições anteriores da competição. Claramente, por algum motivo, as empresas não estão muito confiantes em vincular suas marcas a algo que parece não caiu bem no gosto popular.

Qual é, de fato, a causa dessa frieza em relação àquilo que chamam de a maior paixão do brasileiro?

Eu não tenho dúvidas de que a razão principal para o desinteresse que o povo tem demonstrado em relação ao campeonato mundial de futebol é o sentimento de abandono pelo fato do governo estar sendo tão submisso às exigências da organizadora do torneio, ao mesmo tempo que mantém seu desprezo tradicional pelas necessidades mais triviais da sociedade.

Não é uma questão ideológica, nem mesmo uma oposição política. É, basicamente, a reação de uma mulher traída que vê seu marido gastar rios de dinheiro para agradar sua amante, que é quase uma prostituta. E a primeira reação de uma mulher desprezada pelo esposo é a depressão.

Claro que, iniciado o campeonato, é bem provável que muito do ânimo seja alterado para algo mais positivo, afinal, mesmo a mulher traída tem suas recaídas quando seu homem se apresenta com as qualidades que ela tanto admira. Mas, mesmo assim, esta copa será marcada pelo desprezo do povo, de quem se esperava efusivas demonstrações de alegria.

Infelizmente, nada disso é uma amostra do aumento de consciência da sociedade, nem a demonstração de que o povo se tornou mais inteligente e politicamente sábio. É apenas a tristeza de um coração partido, que clama por um amor jamais correspondido e que, como a mulher de um malandro, apesar de toda a safadeza de seu homem, está louca para receber dele, pelo menos menos, um afago.

 

 

Deixe uma resposta