O cidadão e o pelego

Foi convocada uma greve geral, para hoje, contra a proposta de reforma da Previdência. A ideia é parar o país para reclamar do que é considerado uma afronta aos direitos do trabalhador.

Na verdade, não passa de uma movimentação patrocinada por centrais sindicais, que movimentam apenas seus associados mais atuantes, com interesses bem mais partidários e eleitoreiros do que de defesa de qualquer direito invocado.

Ainda, assim, conseguem fazer uma balbúrdia, pois param setores estratégicos e impedem que os cidadãos se locomovam livremente. Não respeitam o direito das pessoas e acreditam que possuem alvará para prejudicar aqueles mesmos que dizem defender.

O fato é que quando três ou quatro pelegos, segurando uma faixa, paralisam uma rodovia, para fazer um protesto abstrato contra uma possível reforma legislativa, é uma vergonha que nenhum cidadão tome uma atitude digna e os tire de lá à força.

Formou-se, no Brasil, uma cultura de respeito demasiado a esse tipo de gente. Isso porque criou-se a idéia que eles estão ali para defender o trabalhador quando a realidade mostra que o trabalhador, quase sempre, é apenas o meio que eles encontraram para alcançar seus objetivos políticos.

Deixe uma resposta