O desgosto de saber certas coisas

Há muita beleza no mundo, mas, sendo ele decadente, contém também muita porcaria. Nem vou elencar a infinidade de absurdos que as pessoas cometem e vocês nem precisam de muito esforço imaginativo para saber o que se faz por aí.

E sendo o mundo, em parte, um reflexo da alma humana que é, por certa perspectiva, sombria, quem o investiga com mais profundidade se depara com realidades terrivelmente surpreendentes. O que se vê é desagradável e quem vê deixa para trás a inocência.

Por isso, ninguém que se aprofunda no entendimento das coisas está livre do sentimento de que, talvez, fosse melhor não saber o que agora sabe. Desenvolve um certo desgosto por esse conhecimento e o tem como um tipo de suplício.

Esse é o motivo porque certas ciências, como a Psicologia e a Filosofia, não são bem exercitadas na juventude, quando ainda não há maturidade e experiência suficientes para entender e aceitar esse detalhe tenebroso da vida.


Deixe uma resposta