O espanto com as contradições revolucionárias

Consigo identificar em que estágio a pessoa está em relação à compreensão da mentalidade revolucionária por sua reação diante do modus operandi dos esquerdistas. Quando ela ainda se espanta com as incongruências e contradições deles, isto é sinal que ainda não entendeu como a luta política funciona para essa gente.

Para alguém com uma ideologia, os fatos realmente não importam. O que importa, de verdade, é a luta. Sequer o objetivo tem muito valor. O que tem importância mesmo é manter o movimento vivo, manter o sentimento de estar fazendo algo. O que vale, de fato, é a ação.

Todas as palavras e idéias lançadas têm o único objetivo de fomentar a luta e sustentar o espírito do grupo. Não há um compromisso de fidelidade com a realidade, nem a necessidade de que tudo possua coerência. Pelo contrário, na cabeça revolucionária, a lógica é uma limitadora das possibilidades do movimento. Prender-se à coerência é impedir muitas alternativas de ação.

Quem ainda não entendeu essa forma de atuação dos esquerdistas se assusta com a quantidade de contradições encontradas em seu discurso e não se conforma como algo tão incoerente pode manter-se atuante e com tanta força.

Quem, porém, já passou da fase do espanto e compreendeu que esse ilogismo faz parte mesmo do método revolucionário, não se surpreende com as loucuras dos socialistas. Pelo contrário, ao tomar consciência que as coisas são assim mesmo, já não se preocupa em convencê-los, mas em desmascará-los.

Deixe uma resposta