O prejuízo também é meu

Uma catedral, como a de Notre Dame, representa muito mais do que uma religião; ela é o símbolo do esforço de construção de uma sociedade. Não apenas pelos quase duzentos anos, quando milhares e milhares de pessoas trabalharam para erigi-la, mas por todos os séculos posteriores, nos quais ela foi testemunha da evolução, das batalhas, das revoluções e da edificação da sociedade francesa e do mundo ocidental.

Notre Dame é o símbolo da pujança material, mental e espiritual do Ocidente e perdê-la significaria um sinal sério para os que querem destruí-lo como cultura e sociedade.

Por isso, mesmo não sendo católico, lamento esse incêndio (que, aliás, ninguém me convence que tenha sido acidental). O prejuízo também é meu.

2 respostas a “O prejuízo também é meu”

  1. Ninguém me convence que foi acidental MESMO. Muito curioso o contexto: às vésperas da Páscoa, quarto incêndio de uma magna igreja francesa desde janeiro.

  2. Concordo, o prejuízo é de todos nós. Quando vi as cenas de destruição da Catedral fiquei estarrecido, uma catedral que encanta pela beleza histórica, pelo tom lúdico retratado nos filmes dos quais ela foi palco, resta-nos torcer para que sua restauração seja a mais precisa possível.

Deixe uma resposta