O que nos amedronta

Não fosse o túmulo vazio, estaria eu contando meus dias, aguardando apenas o enlace definitivo de uma vida sem sentido.

Mas o corpo daquele que esperavam estar lá deixou, vivo, a frieza do sepulcro, anunciando ao universo que a temida morte estava, enfim, derrotada.

A partir daí, o que nos amedronta? Absolutamente nada!

O terror dos homens foi subjugado. O que pode deter-nos, então?

Deixe uma resposta