Os 4 tipos de idiotas úteis do socialismo e o outro não tão idiota assim

Observando aquelas pessoas que costumam defender e atuar em favor do socialismo, encontro normalmente cinco tipos básicos que se destacam:

O ressentido

Este é aquele que Ludwig von Mises aponta como um anfitrião evidente da propaganda esquerdista. Ele, por não ter conseguido sucesso na concorrência do mercado, por não ter galgado um crescimento econômico e profissional que lhe pudesse deixar orgulhoso, acaba, por conta dessa frustração, aceitando a retórica socialista com mais facilidade. Como esta fala em igualdade, apesar de sabermos que o socialismo nunca conseguiu promovê-la, quem se ressente daqueles que se destacam absorve esse discurso e o propagandeia, talvez como uma forma de se vingar daqueles que conseguiram ascender socialmente.

O frustrado

Há pessoas que, por diversos motivos, não conseguem encontrar, em suas próprias existências individuais, sentido que valha a pena. Estes, como analisa Eric Hoffer, são propícios a acatar as propostas coletivistas, pois no grupo crêem encontrar a razão para a vida que em sua individualidade jamais encontrou. E estes são perigosos, porque podem ser capazes de matar e morrer pelo Partido.

O incomodado

Há aqueles que até têm uma vida boa e até conseguiram conquistar alguma coisa por meio do esforço próprio. No entanto, contaminados por uma cultura que está impregnada da idéia de que quem enriquece faz isso com o inevitável prejuízo alheio, se sentem incomodados com sua própria posição social e tentam, pelo menos, por meio do discurso, expiar aquilo que consideram ser seu pecado. Nunca vi eles abrirem mão de sua riqueza, mas falam do igualitarismo e da divisão de bens com um entusiasmo que até convence quem não observa a incoerência de suas palavras.

O revoltado

Existem pessoas, principalmente no meio artístico, que sobrevivem das idéias libertinas. Que por meio da arte, normalmente de péssimo gosto, encontraram um forma de expor sua revolta e seu clamor por liberdade. Estes não encontram nada no esquerdismo que suporte seus pensamentos, senão o ódio comum à sociedade tradicional. Apenas por isto eles mesmos são acólitos do socialismo. É mais uma identificação por ter encontrado na retórica da esquerda um inimigo comum; só isso.

O receptador

Mas há um tipo que é o mais hipócrita de todos. Ele, simplesmente, defende o socialismo porque este lhe paga muito bem. São os tecnocratas do Partido, os militantes que são infiltrados na máquina pública, normalmente recebendo bons salários e, aqui no Brasil, um tipo muito próprio, que é o militante avulso. Este, por meio de dinheiro recebido claramente para fazer propaganda do Partido, finge ser independente, finge estar defendendo uma causa, mas apenas defende o seu próprio bolso. Não é por acaso que praticamente todos aqueles que vêm a público louvando o atual governo petista são assalariados do partido, remunerados por ele ou beneficiados por meio de projetos. Estes são idiotas apenas no sentido de defenderem idéias estúpidas, mas são os únicos que, realmente, tiram alguma vantagem da ideologia. Os outros, são apenas imbecis mesmo.

 

Deixe uma resposta