Salvando a si mesmos

Os valores do espírito têm se tornado mero fraseado vazio na boca daqueles que deveriam ser os primeiros a guardá-los como se fossem seu maior tesouro. Cristãos, que, em qualquer situação, deveriam fazer de tudo para que esses valores não fossem vilipendiados, têm transformado-os em mera abstração, mera idealização, mera intenção, em algo sem substância, nem força, que não subsiste ante à primeira ameaça mais séria às suas integridades físicas.

Supreende ver, em momentos de crise, especialmente de saúde pública, cristãos tentando salvar-se a todo custo, abrindo mão de valores espirituais, que deveriam ser-lhes inegociáveis. Pior ainda, em troca de qualquer promessa de salvação vinda daqueles que sempre foram seus maiores inimigos: os governantes e os cientistas.

Quando testemunho hordas de fiéis trancafiadas em suas casas, por um ano inteiro, confiando que, fazendo isso, estarão preservando suas vidas, enquanto abrem mão de valores espirituais que sempre proclamaram ser essenciais e indispensáveis, como é o caso da Missa, para os católicos, e a Congregação, para os protestantes, só posso chegar à conclusão que esse valores talvez não lhes sejam tão indispensáveis assim.

Se as pessoas estivessem abrindo mão de seus valores espirituais por medo das sanções governamentais, seria possível esforçar-se por compreendê-las. No entanto, o que eu tenho visto são cristãos defendendo, até de maneira ardorosa, as restrições de culto, como se elas fossem a própria vontade de Deus, e não meros caprichos humanos. Chegam, inclusive, a condenar aqueles que insistem em retomar sua normalidade religiosa, como se isso fosse um crime.

O que eu mais tenho visto são pessoas que dizem confiar em Deus abrindo mão do que lhes deveria ser mais caro por promessas de salvação oriundas de autoridades mundanas, as quais não deveriam ser confiáveis sequer em tempos de normalidade, quanto mais em momentos de crise.

Por isso, Cristo foi tão enfático ao dizer que quem quisesse salvar sua própria vida a perderia.


1 comment

  • Perfeito Fábio! Sempre converso sobre esse assunto com minha esposa nas minhas caminhadas. É muito triste ver as igrejas fechadas, as pessoas se restringindo a adorar a Deus.
    Suas palavras são como bálsamo, vemos que ainda as coisas não estão totalmente perdidas.

    Uma semana abençoada para você e sua família.

    Muito obrigado!

Deixe uma resposta