Juiz de alma

Quando uma juíza se põe a diagnosticar psicologicamente a parte de um processo, condenando-o, por suas opiniões, apenas com fundamentos subjetivos, chegamos ao ápice da judicialização da sociedade, quando a livre expressão e até o livre pensamento começam a ser tolhidos.

Foi o que aconteceu no caso do apresentador Zeca Camargo, condenado a pagar sessenta mil reais à família e empresários do falecido cantor Cristiano Araújo, simplesmente porque, segundo a percepção pessoal da magistrada, teria emitido opiniões extemporâneas e insensíveis. Continuar lendo

Quem controla quem

Quando Marcelo Odebretch afirma, em sua delação, que ele era “o otário do governo, o bobo da corte“, não está dizendo nada mais do que a verdade.

Por mais que esses empresários sejam megalomaníacos e acreditem que têm o mundo em suas mãos, eles possuem objetivos muito simplórios, comparados com as raposas políticas. O que eles querem é ganhar mais dinheiro, é dominar o mercado, é receber vantagens econômicas por meio de sua relação com o poder.

No entanto, são os políticos que articulam-se com estratégia e inteligência, na busca de uma dominação muito mais ampla e profunda, manipulando principalmente aqueles que se apresentam famintos por obter vantagens financeiras.

Por isso, os grandes empresários, em sua ânsia por ganhar cada vez mais e dominar o mercado, são presas fáceis dos políticos corruptos. Se tornam, dessa maneira, marionetes nas mãos daqueles que realmente possuem o poder do Estado.

É verdade que não há ingênuos nessa relação, mas enquanto os empresários acreditam que controlam o mercado, os políticos sabem exatamente quem controla os empresários.