Vigor na irrelevância, placidez na importância

Nos assuntos mais irrelevantes, nos quais poderiam manter, para o bem da convivência social, aquela atitude plácida e conciliadora, as pessoas gabam-se de ser sinceras e mostram a mais firme convicção, chegando a defender suas preferências com grosseria e violência.

Nos temas mais importantes, naqueles que exigem firmeza de ânimo e coragem, porém, são vacilantes, e esquivando-se de pensar neles, preferem a omissão e a complacência.

Deixe uma resposta